Economia

DESTAQUES DO DIA: Mercados globais em alta e no Brasil mercados atentos a divulgação do IPCA de junho

O Portal Veneno teve acesso ao relatório “Moorning Call” da XP Investimentos apontando que os mercados globais estão em alta e no Brasil expectativa da divulgação do IPCA de junho.

Veja mais:

Mercados globais

Nesta quarta-feira, os futuros nos Estados Unidos abrem em alta (S&P 500: 0,2%; Nasdaq 100: 0,3%) liderada por ações de tecnologia e após pronunciamento de Powell em tom mais brando. Amanhã, o mercado aguarda dados de inflação ao consumidor americano, e a temporada de resultados do segundo trimestre de 2024 se inicia com a divulgação dos balanços de Pepsico e Delta Airlines.

Na Europa, as bolsas operam em alta (Stoxx 600: 0,6%), à medida que os juros longos caem nos principais países da região. Na China, as bolsas caíram (CSI 300: -0,3; HSI: -0,3%), com yuan mais fraco e inflação ao consumidor abaixo das expectativas, indicando dificuldade do país em estimular sua atividade econômica

Economia

O depoimento de Jerome Powell para a Comissão Bancária do Senado dos EUA continuou a transmitir maior confiança para iniciar o ciclo de flexibilização monetária, mencionando “progressos consideráveis” na inflação e que o mercado de trabalho “parece estar totalmente de volta ao equilíbrio”. Na China, a inflação acumulada em doze meses caiu para 0,2% em junho de 2024, de 0,3% nos dois meses anteriores. Foi o quinto mês consecutivo de inflação ao consumidor, após quatro meses de leituras deflacionárias, mas permanece baixa no meio à recuperação econômica frágil.

IBOVESPA +0,44% | 127.108 Pontos.   CÂMBIO -1,11% | 5,41/USD

Ibovespa

Na terça-feira, o Ibovespa fechou em alta pela sétima vez consecutiva, subindo 0,4%, aos 127.108 pontos, e no campo positivo por maior parte do pregão, que apresentou baixa liquidez. No mês de julho até o momento, o índice acumula alta de 2,6%.

O Ibovespa foi impulsionado pelo fechamento da curva de juros futuros, beneficiando papeis cíclicos, como os principais destaques positivos da sessão: CVC (CVCB3, +7,5%) e Petz (PETZ3, +5,1%). Já os principais destaques negativos foram papéis de frigoríficas como BRF (BRFS3, -2,8%), Marfrig (MRFG3, -1,9%), e Minerva (BEEF3, -1,9%), pressionados pela queda de 0,9% do dólar, fechando no patamar de R$ 5,42.

Para o pregão desta quarta-feira, teremos a divulgação do IPCA de junho, e, na quinta-feira, teremos a divulgação do CPI de junho nos EUA.

Renda Fixa

Os juros futuros encerraram a sessão de ontem com fechamento por toda extensão da curva, principalmente nos vértices intermediários. Domesticamente, em um dia de menor volume na Bolsa em razão de feriado estadual em São Paulo, a redução da precificação de risco nos ativos locais seguiu a queda do dólar. Nos EUA, pronunciamento do presidente do Federal Reserve, Jerome Powell, no Senado, foi interpretado pelo mercado como favorável ao início de corte de juros em setembro. Por lá, os rendimentos das Treasuries – títulos soberanos americanos – de 2 anos fecharam em 4,62% (0,0bps) e as de 10 anos em 4,30% (+2,0bps). DI jan/25 fechou em 10,575% (queda de 2,1bps vs. pregão anterior); DI jan/26 em 11,17% (queda de 8bps); DI jan/27 em 11,45% (queda de 11bps); DI jan/29 em 11,82% (queda de 9bps)

Hoje, o destaque na agenda doméstica é o IPCA de junho. Projetamos variação mensal de 0,33%. Na economia global, o destaque será o discurso de diversos dirigentes do Fed, incluindo o Presidente Powell, Bowman, Goolsbee e Cook.

( da redação com informações da assessoria. Edição: Política Real)

Deixe um comentário