Coluna Genésio Araújo Jr.

COMENTÁRIO DO DIA: Inferno dos políticos!

Na manhã desta terça-feira, no centro do Brasil, iniciamos o dia com 16ºC com predominância de sol, mas não deverá chegar a 30ºC.

Está marcada sessão na Câmara dos Deputados. Haverá a famosa reunião de líderes organizada por Arthur Lira, na residência oficial da Câmara dos Deputados. Reforma Tributária é o grande assunto.

No Senado, estão marcadas sessões e muitas atividades nas comissões permanentes, destaque para a Comissão de Assuntos Econômicos( CAE).

No mercado, todo mundo avaliando o resultado do relatório Focus de ontem e com o aumento da gasolina e gás, valendo desde hoje, que deverá incrementar o IPCA de julho. Mercado já estimava IPCA no final do ano chegando a mais de 4%.

Lula passará o dia inteiro na Bolívia. Dizem que vai ajudar, mas tomara que traga, também, algo de lá!

E o que mais?! Só o que se fala é da corrupção que chegou, forte, na porta do Capitão Bolsonaro!

OUÇA AQUI

LEIA AQUI

COMENTÁRIO

Os políticos não são extraterrestres, apesar de versões em contrário, eles têm medo de ir para o inferno igual nós, porém o inferno dos políticos não é o mesmo que nos persegue.

O calhamaço de quase 500 páginas do relatório do inquérito das joias árabes que teriam sido apropriadas pelo ex-presidente Jair Bolsonaro não são indícios, são prova provada.

Donald Trump, ídolo de Bolsonaro, já disse que mesmo que matasse alguém em Manhattan, lá em Nova York, ninguém acreditaria. Os apaixonados de Bolsonaro pensam a mesma coisa, mas está difícil ele escapar da pecha de corrupto. Este é o inferno de Bolsonaro.

Arthur Lira sabe que tem uma saída para fugir da pecha de ter montado o maior esquema de corrupção parlamentar que se tem notícia desde o escândalo do orçamento, e que não deu cadeia nem suicídio, o Orçamento Secreto.

Nesta semana deverão ser votados os dois projetos de Lei Complementar que regulamentam a Reforma Tributária. Um trata das alíquotas e outro da composição do tal comitê gestor dos Estados.

As carnes e os medicamentos podem ganhar isenção, a luta é evitar que você aí pague, no geral, uma alíquota de no máximo 26% em tudo que envolva consumo.

Bolsonaro corre o risco de ir para o inferno dos corruptos, mas Arthur Lira corre o risco de ir, só e tão-somente, para o mesmo inferno que nós corremos o risco de ir.

Foi Genésio Araújo Jr, de Brasília

(da redação)

Deixe um comentário