Internacional

Brasil e Equador estudam cooperação técnica para geração de trabalho e renda

Conhecer as experiências bem-sucedidas do Brasil para a criação de emprego e geração de renda, este foi o tema central da conversa entre o ministro do Trabalho e Emprego, Luiz Marinho, com o embaixador do Equador no Brasil, Carlos Velástegui, recebido na manhã desta terça-feira (20), em Brasília (DF). O embaixador estava acompanhado da primeira secretária da representação diplomática equatoriana, Ana Díaz.

“Temos interesse em conhecer as políticas desenvolvidas no Ministério do Trabalho e Emprego do Brasil e de entender a repercussão que elas têm ganhado no mundo”, explicou Velástegui. “O Brasil tem diversas iniciativas públicas que podem ser replicadas no Equador e em outros países da região, queremos ampliar a nossa relação bilateral, com especial interesse na área de Trabalho e Emprego”, disse.

O ministro Luiz Marinho afirmou que o Brasil tem disposição para compartilhar as políticas públicas desenvolvidas para a geração de emprego e renda, e poderá contribuir com o Equador e outros países da região, que tiverem interesse. “Não tem sentido o Brasil se desenvolver e os outros países da América Latina ficarem estagnados”, contou Marinho. Segundo ele, temos que “difundir nossos aprendizados”.

Na avaliação do ministro, entre as ações fundamentais para a garantia da vitalidade do mercado de trabalho estão cooperativas de trabalhadores e de microcrédito; agricultura familiar e estímulo ao desenvolvimento local. “Trata-se de um conjunto de políticas públicas para ampliar a renda das trabalhadoras e dos trabalhadores”, concluiu.

Desde o começo deste ano, Velástegui cumpre mandato como presidente do Grupo da América Latina e Caribe (Grulac). O bloco regional reúne as representações diplomáticas de 25 países e têm realizado uma série de ações em conjunto que reúne todos os embaixadores da América Latina e Caribe. O embaixador convidou o ministro para apresentar ao Grulac uma panorâmica das ações do Ministério do Trabalho e Emprego, durante encontro até o final deste primeiro semestre.

De acordo com o Banco de Atos Internacionais do Ministério da Relações Exteriores (MRE), os documentos mais recentes firmados entre o Brasil, o Equador e outros países são os seguintes: Memorando de Entendimento sobre Diálogo Consular e Temas de Mobilidade Humana (bilateral, em vigor); Acordo de Cooperação e Facilitação de Investimentos entre a República Federativa do Brasil e a República do Equador.

Deixe um comentário