PETROBRAS: Estatal teve lucro líquido de R$ 43,3 bilhões no primeiro trimestre de 2022

Nesta quinta-feira, 05, a Petrobras divulgou e apresentou os resultados do primeiro trimestre de 2022 que apontam números positivos. A geração de caixa operacional no primeiro trimestre de 2022 medida pelo EBITDA ajustado recorrente foi de R$ 78,2 bilhões e o fluxo de caixa livre foi de R$ 40,5 bilhões. Estes indicadores estão em linha com a média do resultado dos pares da indústria de petróleo e gás natural.

O lucro líquido recorrente no trimestre foi de R$ 43,3 bilhões, refletindo principalmente a melhor eficiência operacional, maior produção e exportação de petróleo, menores custos com importação de Gás Natural Liquefeito (GNL), ganhos cambiais devido à valorização do Real frente ao Dólar e os preços do petróleo no período.

Cerca de 80% dos ganhos do período foram provenientes das atividades de Exploração e Produção (E&P) e 20% decorrem de ganhos provenientes dos demais segmentos, como refino.

“Este resultado financeiro deve-se ao fato de termos agora uma Petrobras saneada, que reduziu os encargos com pagamento de dívida, investe com responsabilidade e opera com eficiência. Por isso, é possível gerar esse retorno importante para o acionista, em especial a sociedade brasileira, representada pela União. Tudo isso gera desenvolvimento econômico em toda a cadeia produtiva, gerando emprego, renda e arrecadação de tributos para o país. Neste trimestre, pagamos para União, estados e municípios em tributos uma vez e meia o valor do nosso lucro líquido. A Petrobras está distribuindo os frutos de sua geração de valor para a população brasileira”, destaca o presidente da Petrobras, José Mauro Coelho.

Brent

A média do preço do barril de petróleo (Brent) no trimestre foi de US$ 101, patamar que não ocorria desde o primeiro trimestre de 2014, quando a média do preço do barril de petróleo foi de US$ 108. Apesar do mesmo nível de preço, o desempenho da Petrobras é bastante superior neste trimestre em comparação ao período anterior de preço equivalente de Brent.

Atualmente, a Petrobras convive com um nível saudável de endividamento bruto, que atingiu US$ 58,6 bilhões neste primeiro trimestre de 2022, valor 74%* menor que a dívida no mesmo período de 2014. Além disso, os juros pagos de financiamentos caíram 65% neste período.

Neste mesmo intervalo de tempo, a produção de petróleo e gás natural cresceu 10%, fortemente alavancada pelos investimentos responsáveis e focados nos campos do pré-sal, que hoje respondem por mais de 70% da produção da empresa.

Comparada ao trimestre passado, a produção média de petróleo e gás natural cresceu 3,4%, atingindo a marca de 2,8 milhões de barris de óleo equivalente por dia (boed) no primeiro trimestre de 2022.

Destaca-se também que a produção cresceu ao mesmo tempo em que houve uma expressiva redução de despesas gerais e administrativas, com queda de mais de 60% desde o início de 2014 (valores atualizados pela inflação). Neste período, houve ainda queda de mais da metade dos custos de extração de petróleo e de quase 30% nos custos de refino.

Retorno para a sociedade

No primeiro trimestre de 2022, foram recolhidos quase R$ 70 bilhões em impostos, royalties e participações governamentais para União, estados e municípios. São recursos que podem ser revertidos em políticas públicas como educação, saúde, saneamento entre outros. A arrecadação deste trimestre representa crescimento de 30% em relação ao primeiro trimestre de 2014 (valores atualizados pela inflação).

A criação valor para a sociedade é ainda maior considerando o potencial de geração de empregos a partir dos investimentos da Petrobras. Para ser ter uma ideia, cada R$ 1 bilhão investido em negócios de Exploração e Produção gera cerca de 10 mil empregos.

As perspectivas são de continuidade de resultados sustentáveis: “Nosso objetivo é produzir resultados cada vez melhores e para isso seguiremos executando as estratégias definidas em nosso plano estratégico. Com nosso portfólio, resiliente a baixos preços de petróleo, as perspectivas de crescimento de produção e a continuidade da gestão de ativos, estamos convictos de que entregaremos cada vez mais resultados para a sociedade, seja sob a ótica de dividendos e tributos para os cofres públicos, seja sob a ótica de geração de empregos e renda via nossos investimentos. Uma Petrobras sólida e rentável beneficia a todos”, reforça José Mauro Coelho.

( da redação com informações de assessoria. Edição: Genésio Araújo Jr.)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *