COPA AMÉRICA NO BRASIL: General Ramos, ministro da Casa Civil, diz que “ainda não tem nada certo” sobre o evento no Brasil

Por conta da intensa repercussão após a divulgação da informação de que o Brasil seria “palco” da realização da Copa América de Futebol, após as recusas da Colômbia e da Argentina, no início da noite desta segunda-feira, 31,  o ministro-chefe da Casa Civil, Luiz Eduardo Ramos, fez uma declaração à imprensa no Palácio do Planalto afirmando que o evento ainda está em negociação entre o governo federal e a Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol), por meio da Confederação Brasileira de Futebol (CBF).

“Ainda não tem nada certo, quero pontuar de uma forma bem clara, estamos no meio do processo, mas não vamos nos furtar a uma demanda, caso seja possível, de atender”, afirmou.

O general Ramos informou que o governo estabeleceu exigências nas primeiras conversas que manteve com a CBF. “São 10 times, com dois grupos, 65 pessoas por cada delegação. Todos vacinados. Foi a imposição que nós tratamos com a CBF. Até agora, não há documento firmado, apenas essas tratativas. Bem como a seleção brasileira também será vacinada”, destacou.

Ramos informou que novas conversas serão realizadas com a CBF nesta terça-feira ,1º de junho, quando deve ser anunciada a decisão final sobre a realização do torneio no país.

“É importante destacar que esse evento, caso se realize, não terá público. Tem saído algumas notícias com relação a público, [mas] não terá público”, enfatizou Ramos.

Quanto a definição das cidades que poderão receber os jogos, o Ramos afirmou que essa é uma negociação que será feita pelas entidades organizadoras com os governo estaduais e municipais. Em relação ao impacto do torneio em plena pandemia, o ministro usou o argumento de que já há jogos de futebol sendo realizados no país em outras competições oficiais.

“Com relação à realização dos jogos da Copa América, que serão poucos, não sei porque algumas pessoas se pronunciaram contra o evento, se há jogos do campeonato brasileiro, ocorreram jogos dos campeonato estadual e da Libertadores”.

Ramos não respondeu perguntas e estava acompanhado do secretário especial do Esporte, Marcelo Reis Magalhães.

( da redação com informações de redes sociais. Edição: Genésio Araújo Jr)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *