Um projeto de lei que pretende dar o nome do pai do presidente eleito Jair Bolsonaro, Percy Geraldo Bolsonaro, a um colégio militar será votado nesta quinta-feira (1º) na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro. De acordo com o G1, a proposta é do deputado Rosenverg Reis (MDB) e foi apresentada no dia 10 deste mês, na semana seguinte ao primeiro turno das eleições. O Colégio Estadual da Polícia Militar, que pode receber o nome do pai de Bolsonaro, será inaugurado em 2019 em Duque de Caxias, Baixada Fluminense, reduto eleitoral de Rosenverg. Rosenverg é irmão de Washington Reis, prefeito de Caxias, que chegou a ser condenado a sete anos de prisão por crime ambiental. Em 2017, o prefeito foi condenado por improbidade administrativa. Ele recorre nos dois casos, nega os crimes e continua exercendo o cargo. Segundo o G1, Rosenverg compôs a base aliada de Cabral e depois a de Luiz Fernando Pezão (MDB), e votou, por exemplo, a favor da nomeação ao Tribunal de Contas do Estado de Domingos Brazão (MDB), que acabou preso na Lava Jato. Rosenverg também votou pela revogação da prisão dos deputados de seu partido Jorge Picciani, Paulo Melo e Edson Albertassi, também presos na Lava Jato.

Um projeto de lei que pretende dar o nome do pai do presidente eleito Jair Bolsonaro, Percy Geraldo Bolsonaro, a um colégio militar será votado nesta quinta-feira (1º) na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro.

De acordo com o G1, a proposta é do deputado Rosenverg Reis (MDB) e foi apresentada no dia 10 deste mês, na semana seguinte ao primeiro turno das eleições.

O Colégio Estadual da Polícia Militar, que pode receber o nome do pai de Bolsonaro, será inaugurado em 2019 em Duque de Caxias, Baixada Fluminense, reduto eleitoral de Rosenverg.

Rosenverg é irmão de Washington Reis, prefeito de Caxias, que chegou a ser condenado a sete anos de prisão por crime ambiental. Em 2017, o prefeito foi condenado por improbidade administrativa. Ele recorre nos dois casos, nega os crimes e continua exercendo o cargo.

Segundo o G1, Rosenverg compôs a base aliada de Cabral e depois a de Luiz Fernando Pezão (MDB), e votou, por exemplo, a favor da nomeação ao Tribunal de Contas do Estado de Domingos Brazão (MDB), que acabou preso na Lava Jato. Rosenverg também votou pela revogação da prisão dos deputados de seu partido Jorge Picciani, Paulo Melo e Edson Albertassi, também presos na Lava Jato.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *