Vendas do comércio apresentaram, em junho, recuo em 12 estados; no Nordeste o melhor ficou com o Maranhão e Paraíba

(Brasília-DF, 10/08/2018) O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística(IBGE) divulgou no final da manhã o perfil das vendas no comércio no mês de junho 2018, apontando que o volume de vendas do comércio varejista nacional variou -0,3% frente a maio, na série com ajuste sazonal, segundo resultado negativo consecutivo, acumulando perda de 1,5% nesse período. Com isso, a média móvel trimestral ficou próxima à estabilidade, mas manteve sinal negativo (-0,1%).

Na passagem de maio para junho de 2018, as vendas do comércio varejista tiveram recuo em 12 das 27 Unidades da Federação, com destaque para Roraima (-3,1%), Pernambuco (-2,2%) e Amazonas (-1,8%).

Pressionando positivamente, os destaques em termos de magnitude de vendas ficaram com Mato Grosso do Sul (2,8%) e Maranhão e Paraíba (ambos com 1,6%). Na mesma comparação, no comércio varejista ampliado, a variação entre maio e junho foi de 2,5%, com avanço em 18 das 27 Unidades da Federação, com o maior ganho na Bahia (4,5%). Por outro lado, apresentaram recuo entre maio e junho: Roraima (-2,7%) e Amazonas (-2,2%), enquanto no Rio de Janeiro e em Pernambuco (ambos com 0,0%) as vendas permaneceram estáveis.

Frente a junho de 2017, o comércio varejista nacional avançou 1,5%, com 23 das 27 Unidades da Federação mostrando aumento de vendas. Em termos de magnitude, destaque para Acre (9,7%), Paraíba (8,8%) e Rio Grande do Norte (8,3%). A pressão negativa veio de quatro estados, com destaque para Distrito Federal (-5,9%). Na composição da taxa do varejo, destacaram-se: Rio Grande do Sul (5,5%), Santa Catarina (6,9%), seguido por Espírito Santo (8,3%).

Considerando o comércio varejista ampliado, no confronto com junho de 2017, a expansão foi de 3,7%, com 24 dos 27 estados apresentando variações positivas. Destaque para Rondônia (12,1%), Acre (9,8%) e Espírito Santo (8,5%). Por outro lado, Distrito Federal (-10,8%) apresentou a maior variação negativa. Na composição da taxa do varejo ampliado, destacaram-se São Paulo (5,6%), Rio Grande do Sul (5,9%) e Santa Catarina (7,3%).

No fechamento do primeiro semestre de 2018, frente a igual período de 2017, houve avanço de 2,9% no comércio varejista, com 21 das 27 Unidades da Federação mostrando crescimento nas vendas. Destaque, em termos de magnitude de taxa, para Rio Grande do Norte e Roraima (ambos com 9,9%) e Santa Catarina (9,5%). Com os maiores recuos nas vendas figuram Goiás (-2,6%) e Distrito Federal (-2,4%). Na passagem do segundo semestre de 2017 para o primeiro semestre de 2018, ambos contra iguais períodos do ano anterior, 17 dos 27 estados apresentaram recuo, com destaques para Mato Grosso (de 11,0% para 2,3%), Alagoas (de 8,1% para 0,8%) e Pernambuco (de 5,7% para -1,3%). Roraima aponta o maior avanço entre os dois períodos (de -6,5% para 9,9%).

Quanto ao varejo ampliado, o primeiro semestre de 2018 ficou em 5,8%, com avanço em 25 dos 27 estados, com destaque, em termos de magnitude de taxa, para Espírito Santo (15,0%), Rondônia (13,4%) e Santa Catarina (13,0%). Por outro lado, o maior recuo nas vendas em relação ao ano de 2017 foi observado no Distrito Federal (-3,0%). Na passagem do segundo semestre de 2017 para o primeiro semestre de 2018, também a maioria dos estados apresentaram redução de ritmo no volume de vendas, alcançando 18 das 27 Unidades Federativas, com destaques para Rio Grande do Sul (de 18,4% para 7,6%), Distrito Federal (de 4,7% para -3,0%) e Alagoas (de 9,6% para 2,7%), enquanto Roraima aponta o maior avanço entre os dois períodos (de 2,6 % para 12,1%).

( da redação com informações de assessoria. Edição: Genésio Araújo Jr)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *