Passados dois meses da prisão de Lula, senadores voltarão a Curitiba para nova visita; Comissão de Constituição e Justiça(CCJ) aprovou ida de comitiva

i (4)

(Brasília-DF, 14/06/2018) Argumentando que precisam verificar as “condições carcerárias” do ex-Presidente Luiz Inácio Lula da Silva, na carceragem da Superintendência da Polícia Federal em Curitiba(PR), a Comissão de Constituição e Justça(CCJ) do Senado aprovou na manhã dessa quarta-feira, 13, a ida de uma comitiva de senadores para visitar o ex-presidente.

O líder da Oposição no Senado, senador Humberto Costa (PT-PE), foi um dos apoiadores do requerimento.   Para Costa, que já participou de uma diligência feita pela Comissão de Direitos Humanos(CDH) no mesmo local, em abril, a ida dos parlamentares da CCJ à capital paranaense faz parte dos trabalhos do colegiado, que compreende matérias relacionadas ao Direito Penitenciário, conforme determina o regimento interno do Senado.

Sem custos

“Nossas viagens e averiguações na sede da PF no Paraná não têm qualquer custo aos cofres públicos. O objetivo é saber como estão as instalações e se estão dando o devido tratamento aos presos, incluindo Lula. Sabemos que aquela solitária em que está confinado não é o ambiente ideal para ele”, afirmou o parlamentar.

De acordo com o senador, o país vive um período em que os direitos estão sendo cerceados e a democracia, atacada. “Estamos diante de uma situação atípica. Entendo que a CCJ, onde sabatinamos os indicados para ocuparem os tribunais superiores e debatemos o sistema do Judiciário brasileiro, tem total competência para fazer essa diligência”, declarou.

O requerimento foi apresentado pelo senador Jorge Viana (PT-AC) e aprovado em votação simbólica. Agora, os membros da comissão com interesse em fazer a inspeção na superintendência da PF em Curitiba deverão se organizar para a visita.

No dia 18 de abril, Humberto visitou o prédio, com outros senadores, e constatou que Lula está em instalações adequadas e sendo bem tratado. Porém, contou que o ex-presidente se encontra em condição de isolamento, praticamente de confinamento numa solitária, sem qualquer contato com outras pessoas.

“Vamos ver como isso está agora e como tem passado o presidente ao longo desse período em que está injustamente encarcerado”, disse.

( da redação com informações de assessoria. Edição: Genésio Araújo Jr)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *